Retro-Intros-pectiva.

19:17



Já virei muitas páginas, já escrevi linhas e linhas, palavras cujo significado nunca compreendi, já deduzi expressões matemáticas que de nada me serviram, já fiz trinta por uma linha e tão tardiamente me encontrei. Olho para trás e não me reconheço, a pessoa que sou hoje, não é a pessoa que era há 365 dias atrás. Não era esta Marta, havia em mim outro ser, não sei se melhor ou pior, mas não era o que hoje sou.



9 de Abril de 2012, apagaram-se 23 velas e fiz promessas a mim mesma e ao mundo, prometi manter-me fiel, prometi apaixonar-me de verdade, prometi dedicar-me mais à faculdade, prometi deixar de fumar, prometi ser uma Marta mais forte. E como sempre pensava de mim para mim, “de promessas não hão-de passar”, a verdade é que me considerava tão perfeita que mudar seria um disparate, não queria mudar, queria ser o que era, queria ser arrogante e estar num poleiro imaginário em que inconscientemente me colocava. Queria continuar a manipular as pessoas mais ingénuas, queria rir-me dos mais fracos e pisá-los. E foram muitas as gargalhadas que dei, até que o dia 5 de Junho chegou e com ele trouxe a notícia que fez de mim uma pessoa diferente, não fez de mim boa pessoa, todavia fez de mim aquilo que me orgulho de ser. E o tempo passava tão devagar e nas minhas mãos tinha a notícia de que a minha vida poderia mudar drasticamente ou até ser bastante breve, desci do pedestal em que estava e agarrei-me a todas as forças que tinha, agarrei-me a este blog de alma e coração, confesso. E…na verdade tinha dado o primeiro passo para mudar de mentalidade.
E quando pensamos que temos apenas meses? Quando pensamos que é o fim fazemos tudo para ser felizes nos dias que nos restam e eu fiz isso mesmo, fiz-me feliz. Afastei-me do mundo dos “populares” e segui apenas os meus passos, derrotada por dentro mas sorridente por fora. Com o contínuo passar do tempo o medo era maior e a esperança escassa. Andemos mais para a frente, quinze dias depois, tive uma boa notícia, não tinha sido mais que um falso alarme, não tinha sido mais que um abre olhos, e foi disso que me serviu de “open your eyes and open your heart” e foi o que fiz, mudei a cor do cabelo, mudei-me por dentro, mudei tudo o que me ligava á pessoa que tinha sido, à pessoa menos boa que fui. E foi assim que muitos de vocês me conheceram, em mudança e a realizar (mesmo sem saber) muitas das promessas que tinha outrora feito.

Passei todo um dia em frente ao mar, deitada na areia a tentar tirar conclusões do que seria melhor para mim, a tentar perceber a que sítio pertencia e depois de muito pensar, optei por não pensar em coisa nenhuma e agir. No dia seguinte comecei a desenhar a minha coleção, as minhas próprias peças, aquelas que um dia, se tudo me correr bem, terão a minha assinatura. (Sim, sonho muito, mas também luto muito por aquilo que acredito ser possível) Dediquei-me mais à faculdade, custou, mas era necessário. Tornei-me mais forte, menos assustada, mais guerreira. E no entanto já estamos em Outubro e eu já tinha vinte e três anos e seis meses e já tinha um blog respeitável, tinha a cabeça organizada, os meus sonhos a serem projetados. E decidi que estava na altura de realizar outra das minhas promessas, deixar o fumo de lado, era o fim de um dos meus maiores prazeres, fumar dois maços de cigarros por dia. Sabia que teria de substituir esse vício por outro (menos ou mais saudável), isso era certo! Mas mandei o fumo embora e apesar de ter sempre alguém a tentar convencer-me a fumar de novo, nunca cedi, nem uma única vez.  







 E estamos em Fevereiro de 2013 e eu até me considerava uma miúda equilibrada e mudada, na verdade tinha até mudado mais do que pensava e em vez da minha alta auto estima, tinha apenas pedaços de uma Marta que tinha morrido dentro de mim e nada mais. E lá fui, pedra a pedra construindo o meu castelo de egocentrismo contido e lá me fui motivando a ser verdadeira e genuína outra vez! E lutei contra o que via em mim, era uma luta de mim para comigo, uma luta em que venceu a parte feliz que habita em mim. E sorri de novo, voltei a rebolar na relva e a acreditar que as nuvens são pedaços de algodão doce, voltei a sorrir e voltei a rir-me (alto e bom som), mas desta vez a rir-me do que fui e não das pessoas que me rodeiam. Com tudo isto o que vos quero dizer é que podemos mudar radicalmente sem nos apercebermos de tal mudança e que essa mudança pode ser bastante positiva!

Continuei a dedicar-me à faculdade e a acreditar simultaneamente que podia fazê-lo e ser feliz ao mesmo tempo, ter o meu blog e o tempo necessário para os meus amigos, todavia não me foi possível (tudo tem um preço), então optei por me livrar dos pesos mortos, daqueles amigos de fachada. Coloquei-os todos num enorme saco e seguidamente coloquei todos eles na reciclagem, metaforicamente falando.


364 dias depois, cumpri todas as minhas promessas, sim, todas! Deixei de fumar (compulsivamente), dediquei-me à faculdade (com muito esforço), a vida e as suas circunstâncias tornaram-me uma pessoa muito mais forte (sincera e frontal) e também por circunstâncias alheias ao meu conhecimento, tornei-me uma pessoa apaixonada (não só por mim, mas também por ele) e feliz.
Claro que continuo a ser uma menina muito mimada e consumista, mas se mudasse na íntegra deixaria de ser eu mesma!
Quanto às promessas que farei amanhã?! Essas só vos conto para o ano e espero realizá-las com a mesma determinação e carisma com que realizei todas estas. 


A criança que um dia fui, teria um enorme orgulho na adulta que hoje sou.

You Might Also Like

18 comentários

  1. Também penso que a minha criança se sentiria orgulhosa desta adulta. E isso é muito bom. É sinal que não estamos em conflito. Gostei da tua Retro-Intro-pectiva ;) gostei especialmente do facto de tudo aquilo que tinhas decidido mudar em ti conseguiste ;)
    Beijinhos e parabéns*

    http://garotaembonecada.blogspot.pt/

    ResponderEliminar
  2. Adorei o texto querida! Sinceridade e destreza e, até, maturidade é aquilo que transmites!! Muitos parabéns pelo teu trabalho e que amanhã tenhas um óptimo dia!! :)
    Beijinho,
    Rute

    ResponderEliminar
  3. Olha, que maneira tão forte e bonita de expores a tua alma. Obrigada por partilhares isto, este pedaço tão enorme de ti. Não sei se teria essa coragem.
    http://fashionfauxpas-mintjulep.blogspot.com

    ResponderEliminar
  4. gostei muito do texto, há um ano atrás tive também uma má notícia, fiquei internada durante 45 dias e isso também mudou muito a minha maneira de ser e de viver a vida. A criança que fui também teria orgulho na jovem adulta que hoje sou :)

    ResponderEliminar
  5. Loved the post. You are an true inspiration. I wish that I could too get some playful photographs of mine like yours but I am bad at it.

    New post up
    http://www.coralsandcrimsons.com

    ResponderEliminar
  6. Esse teu chapéu é um máximo mesmo :o
    http://customized-people.blogspot.pt/

    ResponderEliminar
  7. Obrigada pela tua sinceridade, gosto da maneira como escreves torna-se muito fácil para nós seguidores identificar-nos contigo. Espero que em mais este aninho cumpras novamente as tuas promessas. Fico Feliz de te teres feito Feliz ;) ***

    ResponderEliminar
  8. Acho que é sempre bom fazer uma retrospectiva da nossa vida e do que somos!

    SHE WALKS Blog

    ResponderEliminar
  9. É bom teres mudado e teres gostado da pessoa que te tornaste. nós estamos sempre a tentar melhorarmo-nos e é muito bom quando efetivamente o conseguimos. ah, e parabéns claro!

    ResponderEliminar
  10. Bem, após ler este teu texto, Marta, sinto um turbilhão de emoções! Apetece-me ir a correr ter contigo (mesmo não sabendo onde te encontras) e te dar um enorme abraço! :)
    Been there... também eu há cerca de quase três anos vivi uma das piores fases da minha vida! Mas hoje estou tão grata por tudo de mau que me aconteceu! Porque tirei tanta coisa boa, tanto ensinamento, recebi tantas provas de amor, recebi tanta estalada de pessoas que considerava amigas e que afinal era só de nome... Cresci e sinto que não sou a mesma Catarina que era em 2010, antes do "terramoto" me ter atingido. E fico tão feliz por esse terramoto, pelas transformações que vivi. Entendo bem todas as palavras que escreveste. E fico tão, mas tão feliz por ti, por saber que estás bem, que também te superaste a ti mesma! :)
    Parabéns e que tenhas um dia fantástico e que continues a superar-te todos os dias! :)
    beijinho*

    ResponderEliminar
  11. Depois de ler este post, nem sei, se ja gostava da Marta que eu conhecia atraves do blog, agora fiquei a admirar ainda mais ! A vida as vezes faz-nos umas rasteiras mas é necessario mostrar que passamos por cima, e quem comanda somos nos! Es a prova disso !
    Força e espero que os teus desejos neste teu proximo ano se realizem como os anteriores!
    beijinho enorme e um abraço com imensa ternura

    pegadasdeumaprincesa.blogspot.pt

    ResponderEliminar
  12. Adorei o texto... Tocou-me... inesperadamente trouxe-me lembranças de uma pessoa que já fui mas já não existe. Nas tuas palavras consegui identificar uma parte da minha história com traços muito similares e acredita quando digo que é muito dificil isso acontecer! Obrigada por partilhares!
    Desejo muito sucesso nos objectivos que traçares para amanhã e que daqui a um ano estejas a dizer que os realizaste todos!
    Beijinhos, princesa!
    http://cinhapachecoflashs.blogspot.pt/

    ResponderEliminar
  13. Sei bem como é a sensação,desejo cada vez coisas melhore se maiores pra voce
    super beijo


    www.izabellagrimaldi.com

    ResponderEliminar
  14. Bem, Marta, muitos parabéns por todo este percurso! Raras são as pessoas que reconhecem ou sequer têm consciência de todas essas características que assumes ter ou ter tido!
    Beijinhos, boa terça!

    ResponderEliminar
  15. Lovely blog! I'm your follower now, if you like follow me too!

    New post: http://themilkandmint.blogspot.it/2013/04/kimono.html

    ResponderEliminar

Like us on Facebook

Flickr Images

Subscribe